sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Annabel Lee

Foi há muitos e muitos anos já,
Num reino de ao pé do mar.
Como sabeis todos, vivia lá
Aquela que eu soube amar;
E vivia sem outro pensamento
Que amar-me e eu a adorar.

Eu era criança, e ela era criança,
Neste reino ao pé do mar;
Mas o nosso amor era mais que amor -
O meu e o d'ela a amar;
Um amor que os anjos do céu vieram
a ambos nós invejar.

E foi esta a razão porque, há muitos anos,
Neste reino ao pé do mar,
Um vento saiu d'uma nuvem, gelando
A linda que eu soube amar;
E o seu parente fidalgo veio
De longe a me a tirar,
Para a fechar num sepulcro 
Neste reino ao pé do mar.




E os anjos, menos infelizes no céu,
Ainda a nos invejar...
Sim, foi essa a razão (como sabem todos,
Neste reino ao pé do mar)
Que o vento saiu da nuvem de noite
Gelando e matando a que eu soube amar.

Mas o nosso amor era mais que o amor
De muitos mais velhos a amar,
De muitos de mais meditar,
E nem os anjos no céu lá em cima,
Nem demónios debaixo do mar
Poderão separar a minha alma da alma
Da linda que eu soube amar.

Porque os luares tristonhos só me trazem sonhos
Da linda que eu soube amar;
E as estrelas nos ares só me lembram olhares
Da linda que eu soube amar;
E assim estou deitado toda a noite ao lado
Do meu anjo, meu anjo, meu sonho e meu fado,
No sepulcro ao pé do mar,
Ao pé do murmúrio do mar.

Edgar Allan Poe

6 comentários:

Manuela Freitas disse...

Olá Ana Paula,
Não conhecia este poema de Poe, aliás o que conheço melhor são os contos.
Gostei bastante de o ouvir dito por
Marianne Faithfull. A tradução está pobre, falta-lhe a referência várias vezes dita (no vídeo) de Annabel Lee.
Beijo,
Manuela

Carlos Ramos disse...

Trazer Poe para a superficie é boa obra. Não sei se conhece Lou Reed a declamar "The Raven" ao vivo... fica a sugestão. Parabens pelo espaço aqui respirado.

Ana Paula Sena disse...

Manuela, eu gosto muito dos poemas de Edgar Allan Poe. Há coisas dele muito belas, muito musicais.

Os contos são também excelentes.

Provavelmente, não será a melhor tradução. Não é minha, mas de um livro que tenho aqui, onde nem consta o nome do tradutor(a).

No original, em inglês, a musicalidade é muito maior, mas, dado que está tão bem construído, resiste à tradução para o português, mantendo-se, mesmo assim, muito belo.

Beijinhos

Ana Paula Sena disse...

Carlos: agradeço a visita e a excelente sugestão.

Conheço o "The Raven" declamado pelo Lou Reed. Mas aceito a sugestão. Coloco-o aqui um destes dias.

ângela f. marques disse...

Tinha-me escapado este!....

Belíssima surpresa. Vou voltar sempre.

Beijo

Ana Paula Sena disse...

Obrigada, Ângela. És muito bem-vinda!

Beijinhos